O desvio de septo é um problema comum na população em geral, mas os graus de severidade variam. Quando o desvio provoca ronco, dificuldade na respiração nasal, doenças respiratórias constantes, hemorragias nasais frequentes e sinusite é recomendada a intervenção cirúrgica para correção, a chamada septoplastia.

Como funciona a septoplastia?

O principal objetivo da septoplastia é centralizar o septo nasal — a parte do nariz que divide a cavidade nasal em duas partes, constituída por mucosa, cartilagem e osso. Na maioria dos casos, a cirurgia pode ser realizada por técnica fechada, sem necessidade de incisões externas.

Considerada de baixo risco, a septoplastia quase não exige uso de tampão no pós-operatório. Além disso, a internação dura, no máximo, 24 horas e o repouso é de até 7 dias. O procedimento também pode ser associado a técnicas para correção estética como a rinoplastia estruturada, por exemplo.

turbinectomia

O que é a turbinectomia?

A associação da correção de septo com a turbinectomia otimiza os resultados do procedimento. Isso porque a turbinectomia é a cirurgia indicada para casos de obstrução nasal por aumento dos cornetos ou conchas nasais, quando o tratamento com medicamentos não traz resultados.

Estas estruturas, localizadas na parede lateral do nariz, podem aumentar em decorrência de problemas como a rinite alérgica e atrapalhar a passagem do ar. Nesses casos, a correção é feita por meio de cirurgia endoscópica, ou seja, sem cortes externos.

O que esperar da cirurgia?

A cirurgia de septoplastia e turbinectomia pode ajudar no alívio dos sintomas e melhora da qualidade de vida do paciente. Só para exemplificar, problemas como obstrução nasal importante, infecções nos seios paranasais (sinusites), dor de cabeça, ronco e apneia do sono podem ser tratados por meio do procedimento.